Ola querid@ amig@ da Escola da Aura! Na sequência da nossa série “Cursos que nasceram da Leitura da Aura”, nesta semana trazemos a história do “Oráculo do Nascimento”. Neste texto, que foi escrito pela Peggy Mars, vamos compartilhar como o seu trabalho de parteira se encontrou com a Leitura da Aura em um casamento perfeito por meio do resgate das memórias de momentos relacionados ao começo da vida, tornando-a “parteira de adultos”.

Eu sou a Peggy Mars, professora e terapeuta da Escola da Aura e vou contar para vocês a história da chegada do curso do “Oráculo do Nascimento”, e também algumas imagens que me ajuradam a entender melhor essa fase da vida.

O curso é uma grande oportunidade para entrar em contato com as memórias inconscientes do nosso começo da vida e, assim, ressignificar nosso propósito de vida, trazendo mais clareza e pacificação para a relação com os nossos pais.

O início com a Leitura da Aura

Vou começar contando um pouco sobre os meus começos com a Leitura. Aprendi a fazer Leituras da Aura em 2013 e desde então nunca parei, ela é uma escola que desperta a minha compaixão por qualquer situação.

A leitura foi a ferramenta que mais me deu confiança até hoje, principalmente para a minha intuição. Antes, minha sensibilidade poderia vibrar muito a flor da pele, mas eu não tinha ferramenta para a usar de forma consciente e clara.

Eu sinto que a leitura me permitiu resgatar o que eu tinha de mais precioso dentro de mim: meu brilho, meu Dharma. Ela me empoderando passo a passo na minha vida.

A Leitura da Aura e o começo da vida

Dentro da leitura comecei a desenvolver um trabalho focado no momento do começo da vida.  Esse trabalho utiliza as ferramentas já existentes na leitura, mas direcionado para essas memórias, trazendo o que a pessoa está precisando receber no momento presente.

Quando eu decidi morar em Piracanga, meu processo como parteira mudou, unindo esse caminho com o da Leitura da Aura. Em uma meditação, vi que poderia ser parteira de adultos.

Essa foi uma das sementes para o nascimento do Oráculo do Nascimento, curso em que tenho a oportunidade de revisitar esse momento do nascimento com os bebês dos adultos que participam.

O começo da vida: Concepção

Nas leituras comecei a perceber o que acontece com o bebê nessas fases primordiais do começo da vida. Comecei a receber muitas informações sobre a concepção, gestação e nascimento. Também consegui visualizar as vivências da mãe de maneira mais ordenada, junto com todo o processo do pai e do bebê também.

A concepção é um momento em que se fala pouco. Nessa etapa, são feitos os acordos espirituais entre o ser que chega e seus pais, a escolha da cidade, o lugar em que vai morar, além da cultura em que o bebê vai encarnar.

O mais interessante é que podemos ver o impacto que foi gerado em nós, vindo da consciência e desejo dos nossos pais no momento da concepção, o quão presentes estavam e qual parte deles buscou ser pai e mãe. Nessa fase, estabelecemos o nosso propósito de vida dentro dessa família.

Gestação: nove meses para preparar nossa chegada

A fase do bebê na barriga da mãe são 9 meses aproximadamente. Nesse tempo, esse ser vai receber os programas transmitidos relacionados a forma que a família vive durante esse período.

Tem uma imagem simbólica que eu vi em uma leitura de Oráculo do Nascimento (Leitura da Aura focada no momento da gestação) que uso até hoje em todos os meus cursos, porque ela me fez entender a gestação como o momento em que o bebê absorve toda a informação.

Nessa leitura em específico, estava vendo o momento da gestação daquela pessoa, era uma imagem simbólica: tinha um bebê se preparando para fazer uma super caminhada, então estava preparando um super mochila, bem bonita, e ele estava muito atento aos pais e colocava na mochila tudo o que ele via dos pais.

O seu caminho era simplesmente chegar nessa família, então, tinha nove meses para colocar na mochila os instrumentos e ferramentas que precisava para poder se adaptar mais fácil nessa família.

Para mim, isso fez todo sentido, é como se o espírito, que chega com a nossa

essência, chega também para viver uma experiência na matéria, com um corpo, e para isso escolhe uma família, que precisa entender todo o seu contexto para continuar esse caminho.

É diferente chegar em uma família na África, no polo norte, na Europa ou no Brasil. Então, tem 9 meses para se preparar. No caso do bebê daquela imagem, trazia um elemento que permitia escalar uma montanha, porque aquilo tinha a ver com os valores daquela família.

Cada ferramenta que a gente “pega” na gestação nos permite chegar mais preparado. É importante compreender que essas ferramentas permitem nos adaptar para a nossa família. Porém, há um momento em que a pessoa precisa ir para o mundo e, às vezes, essa preparação para poder se adaptar à família pode trazer padrões repetitivos ou crenças limitantes.

Criando espaço para a chegada do bebê

Em leituras de bebês na gestão, já vi várias vezes uma imagem bem parecida, em que o bebê traz para os pais a importância dele chegar com uma folha em branco. Já vi uma imagem de uma parede externa, de um prédio que representa vida dos pais.

Nesse prédio, está acontecendo toda a vida deles, mas do lado de fora o bebê está avisando que está chegando. Mais adiante, há um pintor que chega com uma super escada para deixar a parede toda em branco que será o espaço para o bebê poder se expressar.

Isso seria um pedido para transformar algo, tirar tudo, deixar todo em branco. Geralmente é um pedido para colocar ordem, para ter um espaço limpo, um espaço energético, mas que também pode ser na matéria para ter uma liberdade para ser quem ele realmente é.

Cada bebê é único, cada Ser tem características específicas que não existe em nenhum outro. Cada Ser é uma partícula divina muito luminosa. A gente vem para brilhar no mundo, chegamos com uma super luz para cumprir esse objetivo. Mas é complexo como isso vai se moldando em cada família, levando em conta todo o contexto de vida. Essa essência vai se adaptando para poder chegar, nascer e cumprir o seu propósito.

O nascimento

A maioria das vezes, a informação que temos sobre esse momento da vida é o que alguém contou para nós sobre a sua experiência, seja a nossa mãe, pai, um tio ou o próprio médico que fez o parto. Mas, provavelmente a experiência que você viveu não seja exatamente essa.

No Oráculo do Nascimento, temos oportunidade de nos empoderar da nossa própria memória para reconhecer como foi esse momento para nós. A Leitura também trouxe um aprendizado bem importante para mim.

O aprendizado é o de buscar não fazer conclusões gerais, tal como “um parto cesárea traz esse tipo de trauma para o bebê”, pois descobri e continuo a descobrir que cada casa é diferente.

Mesmo assim, muitas vezes, em caso de cesáreas marcadas, tenho visto em Leituras o bebê super preparado, sendo isso o que ele quer, mas está posicionado na altura do canal do colo do útero. Assim, quando vejo a cesárea acontecendo, quando o corte acontece na parte de cima, tem um braço que vem, uma mão que pega o bebê na altura do ombro para tirar fora da barriga e ele não entende que aquele é o momento do seu nascimento.

Ele tenta seguir por outro caminho, logo ele vai para fora e fica um tempo em estado de choque, sem saber se nasceu ou se morreu. Assim, fica desorientado porque não passou pelo nascimento, não viveu na sua pele o nascimento.

A gravidez na perspectiva da mãe

A pouco tempo uma mãe me perguntou qual era o impacto do seu sofrimento no filho durante a gravidez. É possível ter uma gestação sem sentir nenhuma tristeza, somente alegria?

Ninguém aguenta nove meses no estado de alta vibração em que tudo é perfeito e maravilhoso. Muitas gestantes me falam, “eu não posso me estressar”, mas como você vai controlar isso sem sentir medo? É uma ilusão.

O que muda para o impacto do bebê é a sua autorresponsabilidade. Se você está em uma situação difícil e escolhe se responsabilizar por aquilo, menos vai impactar o seu bebê.

Se você não tem consciência sobre isso, não vai ter como trabalhar essa questão de impactar o bebê, que não tem defesa, não tem filtro, tudo é bem-vindo para ele.

O que podemos fazer quando tomamos consciência das nossas inconsciências, no momento em que tomamos consciência, podemos refletir e trabalhar para trazer a autorresponsabilidade.

Não é possível voltar o passado e mudar tudo de uma vez, mas é possível focar no presente para mudar a consciência. Uma das coisas que me motiva no meu trabalho é a fé e a certeza que quando a gente trabalha com as nossas memórias, limpando, curando e colocando ordem, abrimos caminhos para as próximas gerações, para que esses bebês possam vir com mais consciência.

Sobre a Peggy Mars

Peggy, além de psicóloga formada na França, é também parteira, trabalhando há muitos anos com famílias, grávidas e crianças. Mãe de 4 filhos.

Hoje a ferramenta principal que lhe acompanha na vida é a Leitura da Aura, trazendo clareza através do entendimento das dinâmicas energéticas de cada momento, e resgatando as primeiras memórias da nossa chegada à Terra e da infância, quando ainda se tem toda a pureza da Essência do Ser.

Ela se formou como terapeuta na Escola da Aura, é professora de Meditação das Rosas e de Leitura da Aura. É facilitadora de vários cursos como Oráculo do Nascimento, Um Caminho para Renascer e a Jornada ao Começo da Vida.

Ela abraça o sonho Inkiri Piracanga para que cada Ser possa viver a Verdade do seu Espírito, do seu propósito nessa vida. Hoje vive na Comunidade Inkiri, mas também está levando essa ferramenta para Europa.

Um comentário para “CURSOS QUE NASCERAM DA LEITURA DA AURA: ORÁCULO DO NASCIMENTO

  1. Quando fiz o caminho do amor recebi uma leitura da Peggy maravilhosa e esclarecedora. Ela tem uma doçura pra colocar as visões e falar as mensagens. Ela é especial. Foi a melhor leitura que já recebi.
    Obrigada Peggy

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *